Começa a tocar aquela música e logo imagino aquele momento.
E antes que a sensação boa flua por toda a pele aquela outra sensação toma conta.
E antes que a música acabe já estou arrependido de ter lembrado de tantas sensações.

E arrependido de começar a escrever.

E já não sei se escrevo àquela que era dona da música,
ou àquela que é dona dos meus sentimentos,
ou àquela outra na qual me vejo, e a vejo, imaginando a si mesma enquanto lê.

E me arrependo de ter continuado a escrever.

A música encerra e recomeça.
E já não sei que memórias acionar e que memórias abandonar.
Há tempos que venho tentando descrever e me pergunto:
seria descrever o ato de apagar?

E me arrependo ter escrito e descrito e lembrado e esquecido.

E me arrependo de ter vivido. Porque dói depois que a gente morre.

1 comentários:

Jô Angeℓ disse...

Texto muito parecido comigo.Adorei!

Postar um comentário

top